15 agosto, 2008

Cientistas encontram casal abraçado há 8 mil anos

Uma escavação arqueológica na província de Diyarbakir, no sudeste da Turquia, levou à descoberta dos restos dos "namorados mais antigos do mundo", um homem e uma mulher que foram enterrados abraçados há mais de 8 mil anos, segundo a edição de hoje do jornal Radikal.Os arqueólogos encontraram 22 tumbas do período Neolítico, entre as quais se destacam os restos do casal, dois corpos abraçados e com as pernas entrelaçadas, que datam de 6.100 a.C.

Com esta descoberta, os arqueólogos turcos superaram o recorde estabelecido no ano passado por uma equipe italiana que encontrou, na cidade de Verona (norte da Itália), os restos de um casal que viveu há cerca de 7 mil anos.Os esqueletos encontrados na Turquia correspondem a um homem de aproximadamente 30 anos e a uma mulher de 20. "Foram enterrados juntos, e acreditamos que esta foi a forma como morreram", explicou o diretor da escavação e membro do departamento de arqueologia da Universidade Hacettepe de Ancara, Halil Tekin."

Ainda temos que investigar as causas da morte, se foi por doença ou até mesmo por causa de um crime passional", acrescentou. A equipe realizará os testes necessários para constatar a idade do casal e esclarecer a causa da morte.Tekin acrescentou que a forma como os corpos foram encontrados - abraçados e com as pernas entrelaçadas - não deixa dúvidas de que eles eram marido e mulher, ou simplesmente amantes.

Os arqueólogos turcos se mostraram orgulhosos de terem superado os pesquisadores italianos "por mil anos", a diferença que há entre o casal de Hakemi Use - nome do local onde foram encontrados - e o de Verona, coincidentemente a cidade do romance de Romeu e Julieta.

Agência EFE - 8 de outubro de 2007

Nenhum comentário: