19 março, 2006

Um retrato do Brasil colônia

O Pelourinho, no centro histórico de Salvador, é um dos mais ricos e conservados conjuntos arquitetônicos do período colonial brasileiro. Visitar com os alunos seus casarões, igrejas, museus, ateliês e centros culturais é uma ótima oportunidade de ensinar como o encontro de portugueses, índios e africanos ergueu a primeira capital do Brasil, fundada em 1549 por Tomé de Souza. Comece pelas igrejas. Mostre a de São Francisco, que tem a nave e um conjunto de altares revestidos de ouro, além do mais importante conjunto de azulejaria portuguesa no país. Também imperdível é a Catedral da Sé, onde o padre Antônio Vieira proferiu alguns de seus famosos sermões. Nas ruas, a garotada vai perceber por que a localização geográfica do Pelourinho - no alto de morros - foi fundamental para evitar uma invasão holandesa em 1620. Não deixe de fora do roteiro prédios históricos como o da primeira faculdade de medicina do Brasil - que abriga os museus de Arqueologia, de Etnologia e o Afro-Brasileiro - e o largo do Pelourinho, local em que até o século 19 escravos eram torturados.
O que é que a Bahia tem?

Temas para todas as idades podem ser explorados num passeio pelo Pelourinho. Com as crianças da Educação Infantil, é possível estudar o artesanato de influência africana, as fachadas do casario colonial e sons, cores e formas presentes em manifestações folclóricas como a capoeira. Turmas do Ensino Fundamental podem explorar a geografia e a história do lugar por meio de mapas e desenhos. A variação de estilos arquitetônicos é assunto ideal para o Ensino Médio. Diferentes abordagens, de acordo com a idade dos alunos, podem ser experimentadas em torno da obra dos poetas Gregório de Matos e Castro Alves e do romancista Jorge Amado, que se referem direta ou indiretamente ao local. As sugestões são de Tânia Simões, diretora de assuntos culturais do Projeto Pelourinho Dia e Noite, do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia.
Para conhecer
PELOURINHO INFORMAÇÕES
O Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia oferece roteiros especiais para professores. R. Gregório de Matos, 45, tel. (71) 3117-6452.
INTERNET No site da Emtursa (http://www.emtursa.ba.gov.br/), há mais dados sobre o centro histórico.
Fonte: Rev. Nova Escola

Nenhum comentário: